Artigo: Feminismo, pornografia e Internet

Artigo: Feminismo, pornografia e Internet

Este semestre fiz, na faculdade de comunicação a disciplina ‘Políticas de privacidade e Transparência digitais’ e, no IPOL a disciplina Gênero e Política.  Como sempre, artigos saindo do forno. Gostei muito de pesquisar privacidade a partir da temática da pornografia na internet. Abaixo compartilho o resumo do artigo, que espero publicar em alguma revista acadêmica nos próximos meses.

Continuar lendo “Artigo: Feminismo, pornografia e Internet”

Aula sobre Internet e política

Aula sobre Internet e política

Este semestre fiz estágio docente na disciplina Mídia e Política (PDF), da graduação em ciência política da UnB, com o professor Luis Felipe Miguel.

Na última sexta feira dei a aula sobre Internet e  política em formato de aula pública na ocupação da reitoria da Unb.

Compartilho abaixo as notas e alguns links. Sugestões e comentários são bem vindos. Minha ideia é futuramente construir uma ementa de disciplina para aprofundar sobre o tema.

Aula: As novas tecnologias e a crise do jornalismo. Democratização ou anomia?

Três grandes fases da Internet

Era pré Web: Internet restrita a meios acadêmicos e militares. Pessoas precisavam ter um alto conhecimento técnico para utilizá-la. O filme Jogos de Guerra (WarGames – 1993) ilustra bem esta época.

Era de “ouro”; o surgimento da Web. A partir da década de 1990 marcada por novos protocolos, a interface gráfica e aplicações hoje consolidadas como Google, Blogs, Youtube, etc. Pessoas com conhecimento técnico intermediário utilizando. O seriado Halt and Catch Fire (2014) narra muito bem a passagem da primeira era para a segunda.

Era atual – centralidade (bolhas), vigilância (comercialização de dados pessoais) e aproximação com meios de comunicação de massa – Seriado Mr. Robot (2015) demonstra bem o status atual da rede. Crianças utilizam a Internet sem dificuldades.

Continuar lendo “Aula sobre Internet e política”

Conteúdos e bens culturais no VI Fórum da Internet do Brasil

Conteúdos e bens culturais no VI Fórum da Internet do Brasil

Texto que escrevi junto com Rita Freire, publicado originalmente no Ciranda.net

A circulação de conteúdos e bens culturais na Internet e as questões de sua cadeia produtiva, impacto econômico e interrelações com as políticas e a indústria da cultura ganharam espaço para aprofundamento de debates no Comitê Gestor da Internet do Brasil (CGI Br), com a reinstalação de uma Câmara de Consultoria dedicada esses temas. Continuar lendo “Conteúdos e bens culturais no VI Fórum da Internet do Brasil”

Autonomia e privacidade no ambiente digital (e Mr. Robot!)

Autonomia e privacidade no ambiente digital (e Mr. Robot!)

Fim de semestre e dois artigos finalizados! O da disciplina de Teorias da Democracia, da Profa. Flávia Biroli, é este que compartilho abaixo. Por hora apenas o resumo. O texto completo vem depois, se possível em uma publicação. Mas quem tiver interesse em trocar alguma figurinha é só entrar em contato para conversar.

Continuar lendo “Autonomia e privacidade no ambiente digital (e Mr. Robot!)”

Internet, cidadania e diversidade: rumo ao IGF 2015

Internet, cidadania e diversidade: rumo ao IGF 2015

Semana passada, adorei participar da comissão de seleção do Edital Cultura de Rede Local, da Secretaria da Cidadania e da Diversidade Cultural (SCDC) do MinC. Dentre os inscritos e habilitados haviam projetos incríveis de alto impacto local como, por exemplo, iniciativas para trabalhar com deficientes físicos no interior do nordeste, ou programas voltados para populações de imigrantes,  LGBT, dentre vários outros. Foi uma semana intensa de trabalho, mas que ao mesmo tempo foi revigorante por conhecer estas iniciativas, que em sua maioria nunca receberam recursos do governo federal. Continuar lendo “Internet, cidadania e diversidade: rumo ao IGF 2015”

Notas sobre a Escola de Governança da Internet no Brasil

Notas sobre a Escola de Governança da Internet no Brasil

Ano passado, alguns colegas e amigos foram para a primeira turma da Escola de Governança da Internet no Brasil, um curso de curta duração com 46 horas aula, promovido pelo CGI.br. Este ano, não hesitei e fui uma das selecionadas da segunda turma com um texto sobre diversidade cultural na Internet.

Além do intensivo da semana de imersão, o curso contou com algumas atividades prévias e bibliografia preparatória. Deste material vale destacar o já clássico texto do Barlow “A Declaration of the Independence of Cyberspace“, mas também o excelente artigo Facebookistan sobre a eterna questão da jurisdição da Internet e em tempos de Internet.org.

O material prévio ainda tinha uma saudação à Jon Postel no RFC: 2468 e o Libraries of the Future (PDF) do Licklider, escrito em 1965 (!) e o  “The Computer as a Communication Device”, de 1968.

A seguir coloco alguns comentários que fui anotando ao longo da semana. Vale destacar que todo o conteúdo das palestras está aqui. Continuar lendo “Notas sobre a Escola de Governança da Internet no Brasil”

Fórum de Governança da Internet

O Fórum de Governança da Internet é um daqueles encontros de muita articulação, onde se conhece muita gente e sobretudo se ouve falar dos assuntos que em algum tempo serão amplamente discutidos.

Em 2007, logo após a TEIA ocorreu o IGF no Rio de Janeiro que contou também com um evento paralelo no Circo Voador. Em meio a correria de dois grandes eventos recebi um convite da APC Women para participar em uma mesa sobre regulação de conteúdo na internet. Minha fala deveria ser do ponto de vista de uma usuária, pois havia também gente de provedores de conteúdo e outros “papéis”. Na parte da manhã o Gil havia falado no mesmo local em português, mas na parte da tarde, quando eu iria participar tinha que ser em inglês (ainda bem q Tori me ajudou : )

Estávamos no evento na Lapa com o Circo Voador e o IGF era na Barra, mesmo assim contei com a presença de bons amigos que deram aquele apoio moral, pois a fala foi no mínimo provocadora (aqui tradução) e teve grande repercussão no sentido que gerou muita discussão. Ao ponto de um inglês que não me lembro o nome trazer a tona o velho argumento sobre pedofilia e bagunçar geral o auditório. Foi bem divertido, mas lembro que comentamos que provavelmente me tornaria persona non grata nos IGFs devido a fala provocativa.

Eis que final de agosto o Itamaraty tenta entrar em contato comigo justamente para ir para o IGF de 2010 que começa semana que vem na Lituânia, para falar sobre a internet como um instrumento para democracia.

Convite IGF - clique para ampliar

Continuar lendo “Fórum de Governança da Internet”