Crônica de um assalto – Depois de uma noite do cão, que dormi praticamente só duas horas, achava que não tinha como o dia piorar…
Eis que ao voltar da natação com as crianças, às 11hrs da manhã, passa um motoqueiro e arranca minha bolsa de meu ombro. Saio correndo gritando ladrão f***, mas aí paro porque as crianças ficam para trás… Logo chega gente e um rapaz empresta o celular para ligar para a polícia e família. Um vizinho oferece abrigo na casa dele até que a viatura apareça e dá guaraná e biscoito recheado pras crianças.
Policia chega para o B.O. e contabilizando: talão de cheques, cartões de banco, documento do carro, CNH, chaves… Volto pra casa e minha vizinha recomenda um chaveiro para abrir a porta. Meu pai chega para acudir e deixar grana. Acho as chaves reserva do carro, menos mal. Pouco depois que meu pai vai embora toca meu celular (que tinha ficado em casa carregando). “Adriana, aqui é Eduarda, sua bolsa com seus documentos foram deixados aqui na casa dos meus avós, Antônio e Carmelita…”
Ufa…
Lição do dia:
1 – Minimizar a tendência à distração, ou seja, andar com a cabeça menos na lua e ficar esperta, pois assaltos acontecem há dois quarteirões de casa, antes do almoço!
2 – Ainda existem boas pessoas no mundo!
3 – Pode piorar, mas pode melhorar também!
4 – Crianças aprendam desde cedo: a vida é cruel però belíssima.

(re)descobrindo BH

Nestas últimas semanas peguei um freela para uma editora de São Paulo para fazer textos sobre BH. No processo descobri algumas coisas interessantes, que mesmo sendo nascida aqui desconhecia.

Uma das maiores surpresas foi saber que o Edifício JK, que começou a ser construído em 1950 e só foi concluído duas décadas depois, ainda é o prédio mais alto de Beagá. Outra novidade foi descobrir que a Gruta da Lapinha, caminho para a Serra do Cipó em Lagoa Santa, está fechada há mais de um ano para uma reforma que promete nova iluminação e mais segurança. Na pesquisa também descobri o lado místico da Serra da Piedade, onde já fui pra visitar o incrível Observatorio Astronômico da UFMG.

Fiquei sabendo também que o Parque Ecológico da Pampulha, que sempre quis visitar com as crianças, tem o Projeto Bicicleta para Todos (acima de 18 anos). Ou seja, se conseguir juntar grana para comprar duas bikes infantis no niver delxs em setembro nem preciso comprar uma pra mim pra ensinar a pedalar 😀

Aumentou minha vontade de fazer um vôo livre na Serra da Moeda, por onde já passei várias vezes e avistei o pessoal pulando do alto da montanha. Descobri que por R$180 é possível fazer um vôo livre com instrutor em um vôo duplo. Está no topo da lista das coisas to do.

Por fim, escrevi dois artigos que gostei muito de elaborar, um sobre a personalidade do belo horizontino e outro sobre os botecos de BH. Assim que puder publico por aqui.

Primavera tardia

Desde o início dessa semana que estou simplesmente encantada com os ipês roxos da praça da liberdade (em BH). Adoro divagar nessa beleza por alguns instantes do tão corrido cotidiano.
Hoje logo cedo fiz a foto abaixo. Para completar a experiência, a tarde peguei ônibus da praça sete à savassi, percurso que não fazia há tempos e que é acompanhado por várias árvores de ipês roxos, mas não tantos como no novo complexo cultural da cidade….
A primavera chega depois do começo do inverno…

Praça-praia: a ação!

Ação contra a nova Lei do prefeito Márcio Lacerda que proíbe qualquer tipo de evento cultural ou manifestação artística na Praça da Estação.

Praça-praia: a ação! E se BH não tem praia e nossos espaços públicos de cultura, lazer e livre expresssão estão cada vez mais comprometidos, façamos desse momento uma grande brincadeira!!! Viva o banho de mangueira!!!, tem fotos massa do Tamás!