Artigo: Feminismo, pornografia e Internet

Artigo: Feminismo, pornografia e Internet

Este semestre fiz, na faculdade de comunicação a disciplina ‘Políticas de privacidade e Transparência digitais’ e, no IPOL a disciplina Gênero e Política.  Como sempre, artigos saindo do forno. Gostei muito de pesquisar privacidade a partir da temática da pornografia na internet. Abaixo compartilho o resumo do artigo, que espero publicar em alguma revista acadêmica nos próximos meses.

Continuar lendo “Artigo: Feminismo, pornografia e Internet”

Artigo publicado: Autonomia e privacidade no ambiente digital

Artigo publicado: Autonomia e privacidade no ambiente digital

Há quase um ano terminava de escrever o artigo da disciplina de Teorias da Democracia, que posteriormente foi aceito para publicação e já se encontra online aqui, com DOI, ISBN e tudo mais. Curiosamente segui trabalhando com o tema na disciplina de Gênero e Política, mas desta vez relacionando a privacidade com a cultura do compartilhamento a partir do debate sobre a pornografia. Espero publicar este também! Continuar lendo “Artigo publicado: Autonomia e privacidade no ambiente digital”

Participação Social na Cultura: Análise da eleição do Conselho Nacional de Políticas Culturais

Na última sexta feira, estive em Manaus para participar do IV Encontro Brasileiro de Pesquisa em Cultura, em que apresentei o artigo elaborado na disciplina de Teoria e Análise Política cursada no doutorado semestre passado.

Foi uma viajem super rápida, com o apoio da Universidade de Brasília, mas foi uma ótima oportunidade de rever colegas do MinC e conhecer um pouco mais sobre as pesquisas em políticas culturais desenvolvidas pelo Brasil afora.

No meu artigo, parto do estudo de caso das eleições do Conselho Nacional de Políticas Culturais (CNPC), ocorrido em 2015, ocasião em que  em menos de 40 dias quase batemos a meta 48 do Plano Nacional de Cultura. A metodologia do artigo partiu da revisão bibliográfica e adotou a técnica da observação participante e análise documental. Investiguei a composição de gênero e raça dos atuais conselheiros do CNPC, dado que o edital do processo eleitoral previu cotas para mulheres e afro brasileiros. Ao final aponto algumas conclusões e hipóteses para futuras pesquisas.

O artigo está publicado aqui e a apresentação está abaixo.

Conteúdos e bens culturais no VI Fórum da Internet do Brasil

Conteúdos e bens culturais no VI Fórum da Internet do Brasil

Texto que escrevi junto com Rita Freire, publicado originalmente no Ciranda.net

A circulação de conteúdos e bens culturais na Internet e as questões de sua cadeia produtiva, impacto econômico e interrelações com as políticas e a indústria da cultura ganharam espaço para aprofundamento de debates no Comitê Gestor da Internet do Brasil (CGI Br), com a reinstalação de uma Câmara de Consultoria dedicada esses temas. Continuar lendo “Conteúdos e bens culturais no VI Fórum da Internet do Brasil”

Autonomia e privacidade no ambiente digital (e Mr. Robot!)

Autonomia e privacidade no ambiente digital (e Mr. Robot!)

Fim de semestre e dois artigos finalizados! O da disciplina de Teorias da Democracia, da Profa. Flávia Biroli, é este que compartilho abaixo. Por hora apenas o resumo. O texto completo vem depois, se possível em uma publicação. Mas quem tiver interesse em trocar alguma figurinha é só entrar em contato para conversar.

Continuar lendo “Autonomia e privacidade no ambiente digital (e Mr. Robot!)”

A resistência e a dimensão cidadã da cultura

A resistência e a dimensão cidadã da cultura

Hoje (24/05) toma posse o ministro interino da cultura com 21 espaços do MinC ocupados por artistas, jovens e todo o tipo de gente indignada com o governo interino.

Alguns analistas podem achar ridículo, ou até mesmo irrelevante, a discussão sobre a extinção de pastas que representam minorias como a cultura, mulheres, igualdade racial e direitos humanos, em um contexto tão anti democrático em que o país se encontra. Ainda mais um dia após a divulgação de grampo que levou a queda do ministro interino do planejamento três horas após publicação de editorial do Globo pedindo sua cabeça. Sem dúvida a mais grave das trapalhadas do governo em 12 dias.

A relevância das ocupações vem do fato de que, aliadas às escolas estaduais de Rio, São Paulo e Rio Grande do Sul, representam a resistência que tende a aumentar (só podemos supor, já que não são mais divulgadas pesquisas de opinião neste país!).

Este despertar cidadão da cultura muito tem a ver com o do in antropológico iniciado por Gilberto Gil à frente do MinC, entre 2003 e 2008. Continuar lendo “A resistência e a dimensão cidadã da cultura”

Desenvolvimento da plataforma das eleições do Conselho Nacional de Política Cultural

Publicado originalmente no culturadigital.br.

Como elaborar um cadastro de eleitores e candidatos dos 26 estados do Brasil e Distrito Federal relacionado a dezesseis setoriais? E simultaneamente relacionar este cadastro a 432 fóruns em que as pessoas postem comentários e votem nas candidaturas? Continuar lendo “Desenvolvimento da plataforma das eleições do Conselho Nacional de Política Cultural”